O livro que levei para a Patagônia

ushuaia

Na ida para Buenos Aires comprei o livro “O Poder do Hábito”, de Charles Duhigg.

Hábitos como ler, assistir à TV ou escovar os dentes fazem parte de nossa vida. Quase metade de nosso dia é composta deles – mais precisamente 40%. O autor apresenta um jeito simples e eficiente de mudar hábitos e, segundo ele, a melhor forma de mudar um hábito é substituí-lo por outro.

Alguns hábitos podem ser considerados angulares, isto é, se ele é estabelecido, outros vêm a reboque. Exemplo: a pessoa substitui um hábito de ver televisão por corrida na esteira. O novo hábito traz junto mais preocupação com a dieta, com a qualidade do sono, a pessoa fica mais paciente no trabalho etc. Esse hábito novo é, portanto, um hábito angular.

O que me chamou a atenção foi um capítulo sobre hábitos de organizações bem sucedidas. Em 87 a Alcoa apresentou resultados ruins e o presidente foi demitido. Convidaram Paul O’Neill, reconhecido como um bom gestor público (depois da Alcoa foi Secretário do Tesouro). Na assembleia, lotada de acionistas, analistas, repórteres (a Alcoa é um ícone em Wall Street, sendo sempre a primeira a apresentar seus resultados trimestrais) o novo presidente é apresentado.

Continue reading